Algumas considerações sobre o que é saúde mental

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde como o perfeito bem-estar físico, mental e social. Para a Psicologia e para a Psicanálise, não é possível que o ser humano exista e viva sem nenhum sentimento de mal-estar, isso faz parte da vida e do cotidiano do sujeito e da sociedade. Assim sendo, para pensar uma conceituação sobre saúde mental e psíquica é decisivo que esta não se apoie em verdades absolutas e normativas, pois para diferentes sujeitos, ter saúde mental, psíquica e social pode ter significações diferentes e diversas.

Ainda no mesmo sentido, pode-se dizer que um aspecto crucial para o conceito de saúde mental é o da decisão do sujeito sobre a sua responsabilidade perante suas questões e sua saúde mental, psíquica e física, isto é, a responsabilidade de responder por si mesmo. O conceito também tem relação com o fato do sujeito dar conta de aspectos que antes eram difíceis de suportar, escutar e falar, e resignificar aspectos da vida psíquica ao decorrer do tempo. Para a Psicologia, é possível que cada um seja responsável pelo seu estado de saúde e que adquira mais consciência em relação a este viés tão amplo.

O papel do psicólogo na promoção de saúde mental é o de abrir espaço para o sujeito em sua subjetividade e complexidade; entender e escutar as questões e modos de adoecimento de forma singular; não prometer a saúde mental do paciente, mas apostar nesta como uma possibilidade em um tratamento psicológico; encarar o paciente como alguém capaz de se responsabilizar pelo seu trabalho psíquico dentro de um processo psicoterápico; dar lugar ao sujeito para fomentar estas possibilidades dentro do ambiente psicoterapêutico, dentre outros exemplos possíveis (PRISZKULNIK, 2009). 💭💭💭

👩🏻‍💻 Psicóloga clínica Taíza Queiroz Lima – CRP-04/56933

Facebook Comments

Deixe uma resposta