Pular para a barra de ferramentas

A socialite Paris Hilton garante que ela e a cantora Britney Spears inventaram as fotos do tipo “selfie”

Afirmação, em tom de brincadeira, foi feita por Paris (E) no Twitter, junto a imagem com a amiga em 2006. (Foto: Reprodução)

A socialite norte-americana Paris Hilton, 36 anos, publicou em sua conta no Twitter uma informação, no mínimo, inusitada: a de que ela e a cantora Britney Spears, 35 anos, criaram as fotos tipo “selfie”. No dia anterior, ela havia compartilhado uma imagem na qual aparece junto com a amiga, em 2006: “Há 11 anos, eu e Britney inventamos a selfie”.

Em resposta, vários internautas – incluindo fãs de ambas as celebridades – questionaram a afirmação, muitos sem perceber que tratava-se de uma brincadeira. Não faltou quem postasse várias “selfies” mais antigas de personalidades como Van Gogh, Madonna, Paul McCartney, Jaqueline Kennedy, Frank Sinatra e até Michael Jackson, todas anteriores a 2006.

Assédio

Considerada uma das “patricinhas” mais polêmicas do jet-set internacional,  Paris Hilton voltou aos holofotes no começo deste mês. De acordo com o jornal norte-americano “New York Post”, o produtor Harvey Weinstein – alvo de uma série de denúncias recentes de assédio sexual – teria perseguido a socialite até o banheiro feminino de um restaurante, em mais uma tentativa de abuso atribuída a ele.

O suposto caso data de 2001, quando ela tinha apenas 20 anos. Segundo a publicação, o incidente teria ocorrido durante um evento organizado pela então produtora cinematográfica de Weinstein, a Miramax, em um restaurante em Nova York.

“Assim que Paris chegou, Harvey foi para cima dela”, relatou uma fonte à reportagem. “Ele parecia estar salivando e a convidou para ir ao seu escritório, disse que queria fazer dela uma estrela de cinema”, acrescentou o contato. A falta de interesse por parte de Hilton na investida do produtor teria deixado ele irritado e até mesmo agressivo.

De acordo com a fonte, Weinstein passou a noite perseguindo a socialite. Em determinado momento, ele foi atrás dela no banheiro feminino e emperrou a porta, tentando entrar. “Ele disse que precisava falar com ela e estava tão agitado que um segurança pediu que ele saísse imediatamente do reservado”, contou.

Mais uma matéria recente sobre o empresário, publicada na revista “The New Yorker” e assinada pelo jornalista Ronan Farrow, filho de Woody Allen e Mia Farrow, diz que às vésperas das revelações dos abusos e assédios cometidos por Weinstein, o empresário contratou um grupo de detetives e advogados para reunir informações sobre as suas vítimas. O objetivo: utilizar os dados contra elas caso o seu comportamento abusivo viesse a público.

No final de outubro, a atriz Rose McGowan revelou ter recebido uma oferta de suborno de US$ 1 milhão do produtor para que ela não tornasse público um estupro cometido por ele. Segundo a artista, a oferta chegou a ela por parte de uma pessoa ligada ao empresário, na véspera da publicação da matéria do jornal “The New York Times” com seu relatos e de diversas outras mulheres contando histórias de abuso e assédio cometidos por Weinstein.

Durante anos McGowan falou abertamente que era sobrevivente de um estupro cometido por um poderoso chefe de estúdio em Hollywood. No entanto, ela só revelou que se tratava de Weinstein neste ano, após aflorarem nos meios de comunicação as várias outras acusações feitas contra ele.

Segundo a atriz, ela chegou a fazer uma contraproposta pedindo US$ 6 milhões por seu silêncio, mas com a publicação da matéria o representante de Weinstein desapareceu. “Depois eu vi que aquilo era nojento e que eu não queria o dinheiro dele, pois me faria sentir nojo”, admitiu a celebridade em nova entrevista ao mesmo periódico.

Fonte:www.osul.com.br

Facebook Comments

Sistema J1

Deixe uma resposta