Alerta: Jovem de Pará de Minas morre ao jogar ‘Baleia Azul’ na internet

Com informações de reportagens do Jornal O TEMPO

O jogo “Baleia Azul” pode ter sido a causa da morte de um jovem de 19 anos na última quarta-feira (12) em Pará de Minas. O jogo que viralizou na internet, teria como último desafio atentar contra a própria vida.

Segundo relatos da companheira de Gabriel Antônio dos Santos Cabral, de 19, ela teria passado à noite na casa da mãe e ao chegar em casa, localizou Cabral deitado de barriga para baixo, possivelmente sem vida.

O Corpo de Bombeiros foi chamado na casa, localizada no bairro Serigueiras, e confirmou o óbito. Dentro da residência, foram encontradas cinco cartelas de Cloridrato de Amitriptilina 25 mg – remédio de uso controlado – um total de cem comprimidos, que teriam sido ingeridos pela vítima.

A mãe de Cabral disse a PM que o comportamento do filho teria mudado e que o jovem estava participando de um “aplicativo” chamado “Baleia Azul” há um mês. Ainda segundo a mãe, Gabriel trabalhava, não tinha vícios e deixa uma filha de um mês de vida.

Segundo a Polícia Civil, no celular da vítima, foram vistas algumas imagens em grupo do Whatsapp, onde aparecem pessoas com cortes nos braços e outras com tatuagens de baleias pelo corpo. O delegado regional da Polícia Civil de Pará de Minas, Carlos Henrique Gomes Bueno informou que o celular ainda será periciado e os participantes do citado grupo investigados.

O “Blue Whale Challenge”

Desafio começou na Rússia e já preocupa autoridades médicas em todo o mundo. O jogo consiste em incitar os participantes, geralmente em grupos secretos no Facebook, a completar 50 desafios, que conduzem lentamente à morte.

Há uma crença popular que diz que a baleia azul seria capaz de se suicidar indo voluntariamente encalhar na praia e isto teria inspirado a “brincadeira”.

Os 50 passos

No começo, as tarefas dadas aos adolescentes são mais simples: desenhar uma baleia em uma folha, passar a noite em claro ouvindo música triste ou vendo filme de terror. Depois, elas vão ficando mais perigosas: os participantes são ordenados a tatuar uma baleia no braço, feita com uma faca ou uma lâmina de barbear.

Entre as tarefas, eles também são comandados a insultar os pais, se mutilar nos lábios e, enfim, no 50º desafio, atentar contra a própria vida.

Os participantes dessa prática cumprem uma tarefa por dia. A lista do que fazer é entregue aos poucos por uma espécie de tutor, quase sempre o administrador de uma página secreta no Facebook. A todo momento, eles são avisados de que este é um jogo sem volta.

Na Rússia, ao menos uma pessoa foi detida por envolvimento nesse esquema suicida. Em alguns casos, quando os adolescentes chegaram à reta final dos desafios, eles trocaram a foto de capa do perfil na rede social por uma imagem de uma baleia azul.

Facebook Comments

Deixe uma resposta