Pular para a barra de ferramentas

‘SEM PROBLEMAS’ Patrocinador master do Boa Esporte não se opõe a contratação de Bruno

Parceiro do Boa desde 2014, o grupo Góis e Silva afirmou que continuará apoiando o clube e que acredita nos valores bíblicos de ‘um novo começo’ para ex-presidiários

O grupo diz, ainda, que apoia a contratação de ex-presidiários e acredita na reintegração ao convívio social e ao mercado de trabalho

Recheada de polêmicas, a contratação do goleiro Bruno pelo Boa Esporte Clube, de Varginha, não gerou problemas entre o clube e seus patrocinadores. Solto no final de fevereiro após passar quase sete anos preso – e com mais de 15 anos de pena ainda por cumprir – o atleta anunciou acordo com a agremiação na última sexta-feira (10).

Parceiro do Boa desde 2014, o grupo Góis e Silva, de propriedade do empresário Rafael Góis e atuante em diversas áreas comerciais, é o principal patrocinador do clube, estampando sua marca na área mais valiosa da camisa.

Em contato com O TEMPO, a direção da empresa afirmou que continuará apoiando o Boa e outras agremiações esportivas por acreditar nos valores do esporte. O grupo diz, ainda, que apoia a contratação de ex-presidiários e acredita na reintegração ao convívio social e ao mercado de trabalho.

“Se a ‘lei de Jesus’ incentiva um ‘novo começo’, quem somos nós humildemente diante desse cenário gigantesco para boicotar nosso apoio à decisão do Boa Esporte Clube? A decisão de contratação coube exclusivamente à diretoria do Boa Esporte Clube, mas mantemos a nossa posição de acreditar no esporte do Brasil e, por isso, há 3 anos mantemos nossa parceria com o time. Sim, vamos continuar com a parceria”, argumenta trecho da nota.

O grupo afirma não temer ter sua marca associada ao goleiro e nem receber críticas pelo patrocínio. Nas redes sociais do proprietário Rafael Góis, no entanto, internautas postaram comentários contrários ao apoio da empresa. “Por quanto tempo sua empresa irá manter patrocínio a time de futebol que contrata assassinos?”, diz um. Na mesma toada, outro comentarista questiona o patrocínio. “Esperamos que cortem relação financeira com um time que apoia um homicida”.

Nutrends se diz ‘surpresa’

Presente nas mangas da camisa do Boa Esporte, a empresa de suplementos alimentares Nutrends revelou estar “surpresa” com a contratação do goleiro pela equipe e, ao jornal “Folha de S.Paulo”, afirmou que estuda que medidas tomará a respeito da incorporação do atleta.

“Quando decidimos patrocinar o Boa Esporte o goleiro Bruno ainda não fazia parte do elenco e nem sequer havia qualquer sinalização de contratação. Nós como empresa não temos autonomia para interferir nos processos de contratação do time. Para nós também foi uma surpresa e já estamos vendo quais medidas poderão ser tomadas”, disse a empresa à Folha.

Nas redes sociais, a Nutrends tem recebido críticas e xingamentos de internautas por conta do patrocínio ao clube.

Caso Bruno

Bruno estava preso desde 7 de julho de 2010, quando ainda era investigado pelo desaparecimento de Eliza Samudio, com quem teve um filho, também chamado Bruno. Ele estaria sendo pressionado pela modelo para que assumisse o filho e pagasse pensão. Eliza foi declarada morta, e seu corpo nunca foi encontrado. Em março de 2013, o ex-goleiro foi condenado a 22 anos e três meses de prisão.

Fonte:www.otempo.com.br

Facebook Comments

Deixe uma resposta