Pular para a barra de ferramentas

Dica do Dia.

A boa notícia é que sim, essa dor passa. Vai levar um tempo para a angústia da ausência se tornar suportável até você nem se quer lembrar como era sentí-la.
Tudo isso porque somos adaptáveis e vamos nos acostumando com aquilo que gostaríamos muito que estivesse por perto, mas não está. No início incomoda demais, apresentamos alguma resistência e inconformados, insistimos mais em alguma alternativa “inédita”, mas o desfecho se repete, e frustrados, somos obrigados a novamente encarar a falta do que queremos.
Conforme percebemos que o tempo passa e estamos sobrevivendo, há uma certa sensação de conforto com a constatação de que há vida além da ausência daquele que tanto amamos. E então, vamos nos dando conta de que é possível fazer muitas coisas, explorar possibilidades, estar com amigos, resgatar os planos “daquela viagem”, rever sonhos, trazer a família para perto, sentir-se amado, redescobrir-se, gargalhar, sair, passear…
Dá para sentir falta e viver ao mesmo tempo. Dá para amar para sempre e amar de novo. Dá para sentir saudade e ser feliz!
~ Pamela Magalhães

Facebook Comments

Deixe uma resposta